Wednesday, August 20, 2008

3x3 - Parte III

Passemos agora para o outro lado da Segunda Circular para ver os altos e baixos do Sporting.

Mais:
  1. Plantel equilibrado. Finalmente o Sporting consegue iniciar uma época com um plantel bom e equilibrado. As saídas foram mais do que razoáveis, escoando os excessos, e os jogadores contratados estão não só identificados com o futebol português, mas também, na maior parte dos casos, com a equipa leonina, especificamente. Rochemback, Postiga, Caneira (para além das confirmações de Grimi e Izmailov) vêm oferecer a Paulo Bento uma maior amplitude de opções, tanto ao nível do esquema táctico como da rotatividade que poderá empregar nas diferentes fases da época - algo que não pôde fazer no ano passado.
  2. Estrutura dirigente consciente e inteligente. A SAD do Sporting terá os seus defeitos, naturalmente, mas soube contratar a preceito e com um enorme rigor financeiro. Para além disso, assume-se como um organismo no qual Paulo Bento se pode respaldar (como já vimos em situações delicadas na última época) sempre que a sua nau se desgovernar. Uma boa ligação entre as chefias, técnica e administrativa, continua a ser fundamental e, não raras vezes, uma garantia de sucesso.
  3. Dinâmica de vitória. Apesar de ter o orçamento mais pequeno dos três grandes, Paulo Bento conseguiu incutir uma excelente dinâmica de conquista, assumindo-se como uma verdadeira máquina de conquistar taças. A vitória da última Taça de Portugal e das duas últimas Supertaças (a Taça da Liga foi perdida nos penalties) demonstrou que esta equipa, em boas condições, é capaz de produzir bom futebol - de forma inteligente e perspicaz.

Menos:

  1. Alas. O treinador do Sporting sempre deu preferência ao 4x4x2 losango, apesar de, nesta pré-época, ter mostrado que queria ter à sua disposição, pelo menos, um 4x4x2 mais clássico. No entanto, parece-me que lhe faltam as alas, habitualmente preenchidas pelas subidas de Grimi e Abel. No entanto, na longa época que se avizinha, não creio que os dois laterais consigam aguentar o exigente ritmo de todas as competições ao mesmo nível e, como se viu, na época passada, o Sporting sofre muito quando não consegue fazer subir os seus laterais. Para além disso, em jogos mais fechados, os jogadores leoninos mostraram algumas dificuldades em jogar pelas alas, pois não existem jogadores talhados para isso - os melhores serão Izmailov, Derlei, Djaló ou até Vukcevic, que poderão descair para as alas, sem contudo se afirmarem como verdadeiros extremos.
  2. Balneário. O Sporting arriscou bastante ao contratar bons jogadores para posições que já estavam aparentemente preenchidas. Postiga, Rochemback e Vukcevic, por exemplo, são jogadores que, como já se viu noutras ocasiões, são capazes de colocar os seus interesses e frustrações acima dos interesses do grupo. Paulo Bento terá de ser muito inteligente a gerir todas as situações de rotatividade e titularidade, sob pena de ficar com um balneário fissurado.
  3. Rui Patrício. Uma equipa "grande" precisa de um grande guarda-redes. Não necessariamente de um guarda-redes que faça muitas defesas vistosas, mas sim de alguém fiável e pouco dado ao erro (o exemplo de Ricardo parece-me óbvio). Não obstante a sua exibição na Supertaça, o guarda-redes sportinguista ainda precisa de amadurecer e desenvolver algumas das suas capacidades. Na verdade, não creio que transmita ainda a segurança necessária aos seus companheiros de defesa, não se encontrando, na minha opinião, ao nível de Quim ou Helton. Na última época, os seus erros custaram alguns pontos. A ver vamos o que nos traz esta temporada.

Conclusão:

Paulo Bento tem à sua disposição o melhor plantel das últimas épocas. Se conseguir manter o seu plantel concentrado nos objectivos certos, terá tudo para conseguir o campeonato que foge há seis anos à equipa de Alvalade. A gestão interna do balneário afigura-se difícil, mas Paulo Bento já mostrou anteriormente que não permite grandes veleidades a jogadores com complexos de vedeta.

2 comments:

Rika said...

Concordo sobretudo com a menção à SAD do Sporting e ao seu treinador Paulo Bento. A equipa reforçou-se bem sobretudo com Grimi e Caneira mas ao mesmo tempo perdeu jogadores na equipa sem os vender como Moutinho e Miguel Veloso. Paulo Bento terá dificuldade em gerir esta e outras situações como a de Vukcevic e Stojkovic. Outra debilidade parece-me a frente de ataque, Postiga pode facilmente esgotar-se, Derlei é sempre um extra e nunca uma certeza e lá ficará a equipa refém do resmungão Liedson?

PS- O baixo orçamento não pode justificar a escolha dos guarda-redes e o Sporting vai sofrer com isso de certeza.

VMP said...

Escolher um bom guarda-redes é sempre muito complicado. Conseguir aproveitar um "feito em casa" é quase um milagre. Por mais que compreenda o que dizes, conseguir contratar um bom guarda-redes, especialmente para os clubes portugueses, é sempre uma tarefa árdua. O Sporting tem uma tradição de contratação de guardiões "especiais", digamos assim. De Lemajic a Ricardo, por exemplo, passando por Stojkovic e Rui Patrício, o clube leonino parece querer sempre fazer gáudio da sua originalidade de escolha - o que lhe tem custado uns quantos dissabores ao longo dos tempos. No mercado português, por exemplo, não é muito fácil encontrar um guarda-redes melhor do que Rui Patrício.